Governo amplia produção de água no Guarapiranga

0 227

Com a conclusão da obra, a Estação de Tratamento de Água ABV tem a capacidade aumentada em mil litros por segundo, passando a abastecer cerca de 400 mil pessoas a mais e ajudando a aliviar o Sistema Cantareira.

O governador Geraldo Alckmin inaugurou no dia 20 de julho, a nova unidade de produção com o uso de membranas na Estação de Tratamento de Água do Alto da Boa Vista (ETA-ABV), do Sistema Guarapiranga, que vai aumentar a capacidade total em mil litros por segundo, beneficiando cerca de 400 mil pessoas. Também participaram do evento o secretário de Saneamento e Recursos Hídricos, Benedito Braga, e o presidente da Sabesp, Jerson Kelman.

A instalação de membranas ultrafiltrantes é uma tecnologia de ponta já empregada em países como Estados Unidos, Israel e Cingapura e já vinha sendo adotada pela Sabesp na prova ETA-ABV e na ETA-Rio Grande. O novo aumento de produção de água tratada ajuda a reduzir a retirada do Sistema Cantareira, permitindo ao Guarapiranga, que hoje conta com ótimo nível de reserva, avançar em novas áreas, principalmente na região da avenida Paulista.
“O Sistema Guarapiranga é hoje o maior sistema de abastecimento de água de São Paulo, produzindo 16m³/s e só foi possível agregar mais 1 m³/s com essa tecnologia das membranas ultrafiltrantes”, explicou o governador. A obra faz parte do pacote de intervenções essenciais para o enfrentamento da crise hídrica, que já conta com a captação do Guaió concluída (mais 1 m3/s) e está com a construção da ligação Rio Grande-Alto Tietê (4 m3/s) andando a todo vapor, com mais de 50% da extensão concluída.

Ampliação
No final de 2014, o Sistema Guarapiranga já teve a sua capacidade de produção aumentada em mil litros/s, passando de 14 mil litros/s para 15 mil litros/s, graças à utilização das membranas na ETA-ABV. A tecnologia também já é utilizada pela Sabesp na ETA-Rio Grande, produzindo 500 litros de água potável por segundo, além do Aquapolo, onde é usada para gerar água de reúso com alto teor de refinamento.

O uso de membranas tem uma série de vantagens: o tratamento da água, que levaria pelo menos duas horas, em média, é realizado num período de 20 e 30 minutos, com funcionamento automatizado e utilização muito menor de produtos químicos. Outra vantagem dessa tecnologia é a de ocupar um espaço físico muito menor. As membranas são importadas da Alemanha e o investimento realizado pela Sabesp é de R$ 42 milhões, com recursos próprios.

Novos reservatórios ampliam a oferta de água para RMSP
Na ocasião, o governador entregou oficialmente três novos reservatórios metálicos para a Região Metropolitana de São Paulo, beneficiando mais de 350 mil moradores. Com investimentos de R$ 9,6 milhões, as melhorias ampliam a reservação dos municípios de Embu das Artes, Embu-Guaçu e São Bernardo do Campo em mais 11 milhões de litros de água.

Os novos reservatórios fazem parte de um conjunto de 29 equipamentos que estão sendo instalados em 16 cidades da Região Metropolitana de São Paulo e que garantirão melhorias na segurança no abastecimento para a população. Os equipamentos têm capacidade total para 235 milhões de litros de água. O investimento é de aproximadamente R$ 169 milhões.

Reportagem: Da Redação. Foto: Daniel Guimarães.

Comentários
Carregando...