Cartas para redação

0 106

Elogio de colega
Parabéns pela edição e pela premiação no 8º Prêmio Gutenberg realizado no Belém.
Eduardo Monteiro, jornalista, via e-mail.

Reclamação de córrego
Moro na Rua Zodíaco, entre as ruas Aratanha e Antonio Preto, no bairro Jardim Têxtil. Nessa rua temos o Córrego Rapadura, infestado de ratazanas e pernilongos. Esse córrego há muito já deveria ter sido canalizado, promessa da Subprefeitura Formosa-Aricanduva. Nesse trecho do lado do córrego não há proteção nem calçamento. É vergonhosa essa situação. Gostaria que o subprefeito viesse pessoalmente ao local para avaliar e de imediato tomar as providências para a correção dessas irregularidades e desse uma resposta para os moradores da rua.
Fernando Coscioni, via e-mail.

Parabéns ao prefeito
Em relação a matéria “Projeto retira toneladas de entulho das ruas de Sapopemba”, parabéns a subprefeitura de Aricanduva e ao prefeito Fernando Haddad, que olham para pereferia, que se preocupa com os mais desfavorecidos. Agora precisam se preocupar com as cheias e com os pontos vulneráveis.
Virginia F. de Angelis, via portal SP Jornal.

Cuidado com a dengue
Se a população ficou assustada com a dengue este ano, aguarde o próximo ano. Devido a Portaria 2528/2014 de 11 de Dezembro de 2014, o Secretário da Doença (Saúde ???), José de Fillippi, “resolveu”, que os Agentes de Zoonoses, que estavam nas UBS retornassem para as Suvis (Base). Os agentes que estavam nas UBS, já estão alocados ali há quase 5 anos, ou seja, são conhecidos de todos, e por serem conhecidos, conseguem entrar em áreas de difícil acesso, como becos e vielas, que são consideradas Áreas de Risco. Além disto os agentes conseguem resolver problemas e situações, sem que para isto o munícipe precise ligar no 156 ou fazer um SAC. Agora o que está acontecendo desde esta “canetada”. Os agentes que em sua maioria moram ou estão próximos aos locais onde atuam, tem que ir até suas Bases (Brasilândia, Jabaquara, Mooca, Butantã…) e a partir de lá serem confinados em um carro (Van) para saírem para realizar o serviço. O grande problema é que eles não vão para as áreas que já conhecem, e sim para locais desconhecidos por muitos deles. E por serem desconhecidos não conseguem realizar o trabalho de forma mais eficiente. No caso das Vans, alguém está ganhando muito dinheiro com isto. Porque pensem: os agentes já estão nos locais de atuação, então com que intuito a PMSP, que está sempre tentando cortar custos desnecessários, colocou Vans para levar os agentes para o local, onde eles já estavam? De que forma isto pode ser mais eficiente no combate a Dengue? […] Agora como podemos realizar nossas funções, que não inclui apenas combate a Dengue, se as condições são estas descritas acima? . Se você não estiver com Dengue no ano que vem, alguém ao seu lado estará.
Agente de zoonoses não identificado, via portal.

Comentários
Carregando...