Viagem com os pets: quais cuidados tomar?

52.738

As férias escolares estão chegando. Muitas famílias aproveitam esse período para viajar, e entre as que têm um animal de estimação algumas dúvidas são comuns. Por desconhecer os cuidados necessários para levar um bichinho para a viagem, alguns donos têm receio e optam por deixá-los em um hotel próprio ou sob os cuidados de alguém de confiança. Tudo para evitar “situações estressantes”.

Preservar os animais é correto, mas em muitas situações, permitir que eles passem um tempo em um ambiente diferente é saudável para os pets. Com algumas precauções, é possível proporcionar alegria a todos sem desconforto algum.

O primeiro cuidado está relacionado ao transporte. Se a viagem for de avião, é fundamental planejar vacinas e providenciar os atestados de saúde e segurança exigidos pelas companhias aéreas. Nesses casos, cada uma delas tem a sua cartilha.

Quando o percurso é realizado de automóvel, o conforto também deve ser considerado. Entre as opções disponíveis no mercado, há a caixa de transporte, o cinto de segurança, a cadeirinha e até mesmo um cercado parecido com o que usamos nas portas de casa, para delimitar território. Cabe ao tutor analisar qual reflete melhor a personalidade de seu pet e escolher o que vai deixá-lo mais confortável e seguro.  Ver cães ou gatos soltos, com a cabeça para fora de um carro, é bonitinho, mas aumenta o risco de acidentes e representa infração de trânsito. Além disso, é recomendável que se faça uma parada a cada duas horas para descanso e necessidades básicas.

Quando chegar ao destino, uma dica interessante para que o animal se adapte, é espalhar alguns brinquedos e objetos conhecidos, para transmitir uma sensação maior de segurança. O ambiente pouco familiar tende a causar ansiedade e pode levar a possíveis problemas gastrointestinais, como diarreias. Pensando nisso, a mala ideal para pet também deve conter itens como: comedouro próprio, vasilha para água própria, roupas e mantas entre outros artigos.

Por último, mas não menos importante, um alerta deve ser feito: algumas regiões do Brasil são endêmicas de dirofilariose (doença conhecida como “verme do coração”, que pode levar o pet à morte). Se esse for o caso do seu destino de viagem, é preciso consultar um veterinário e providenciar os ajustes de prevenção, afinal, cada pequeno detalhe deve ser levado em conta para assegurar que nossos amigos também aproveitarão – sem traumas – esse momento especial.

René Rodrigues Junior é médico veterinário da Magnus, fabricante de alimentos para cães e gatos.

Comentários
Carregando...