É só não atrapalhar!

1.165

O aumento da confiança do mercado e do cenário econômico sempre acontece a partir do momento que os ambientes interno, externo, de mercado e político se mostram mais estáveis.

Essa semana duas ações chamaram bastante atenção do cenário empresarial brasileiro.

A primeira e mais importante foi o acordo de livre comércio entre União Europeia e Mercosul.

A ação deve zerar as tarifas de importação de veículos para o Brasil em até 15 anos. Vinhos europeus tendem a ficar até 30% mais baratos em até 12 anos.

A proposta é zerar os cerca de 91% de tarifas de alguns segmentos gradualmente na próxima década.

Embora o mundo viva uma mudança de modelo produtivo observando os serviços, tecnologia e cultura sendo os principais ativos frente uma economia mais suja e bruta como a automobilística, é natural que as condições de melhoria devem impactar não somente estes mercados específicos conforme citado, mas também todos que envolvem a cadeia produtiva dos mais diversos segmentos.

Equipamentos industriais, produtos químicos, roupas, produtos farmacêuticos, por exemplo, também terão suas tarifas eliminadas ao longo do tempo.

Ainda nesta semana, do dia 26 a 29 de junho, aconteceu a Feira da ABF – Associação Brasileira de Franchising.

O evento reuniu mais de 60 mil empreendedores e foi uma prova viva da procura e interesse do brasileiro em conhecer e naturalmente investir em negócios e franquias das mais variadas vertentes de marcas e setores.

Foram 407 marcas de exposição, sendo 128 estreantes. E ainda a novidade: 27 redes de franquia com investimentos de até 90 mil. Algumas com investimento inicial de R$ 10 mil.

A maior feira de franquias do mundo é brasileira e mostrou que nosso país além de criativo está ativo e interessado no desenvolvimento dos negócios.

Homens e mulheres, empresários e empresárias, se não fossem eles o país estaria no fundo do poço.

Ainda bem que os temos.

O país precisa do entusiasmo, criatividade e positividade de nossos empreendedores.

Os políticos brasileiros geralmente atrapalham os índices de confiança com suas falas e atuações mal colocadas e desastrosas, isso sem falar da corrupção que geralmente é característico de boa parte desta classe.

Com toda investigação de lava-jato, mudança de governos, instabilidades etc, mesmo assim o ambiente continua fértil e as pessoas apostando em dias melhores.

A classe política não precisa ajudar, porém, basta não atrapalhar que a economia deslancha com toda a certeza.

 

Antonio Gelfusa Junior é publicitário e editor-chefe das publicações impressas e online do Grupo Raiz.

Comentários
Carregando...