Casas André Luiz pede ajuda para manter atividades

Com mais de 70 anos de dedicação à causa da pessoa com deficiência, pandemia coloca instituição sob alerta em situação emergencial

44

As Casas André Luiz são uma instituição filantrópica e sem fins lucrativos, localizada em Guarulhos (SP), que atende mais de 1.700 pessoas com deficiência intelectual, com ou sem deficiência física associada.

Cerca de 1.200 pacientes estão em casa aguardando o retorno dos atendimentos realizados no Ambulatório de Deficiências. No entanto, 553 moram na Unidade de Longa Permanência e estão sem poder ver seus familiares e amigos, ter contato com voluntários ou realizar atividades externas.

Devido à pandemia de Coronavírus (COVID – 19), eles estão limitados ao convívio com profissionais da saúde, uma vez que necessitam de cuidados 24 horas, 7 dias por semana, para sobreviverem. A Unidade de Longa Permanência é o LAR desses pacientes. Com isso, a instituição lança uma campanha na qual é possível fazer doações pelo hotsite.

Insumos de extrema importância para a enfermagem, a exemplo de máscaras, luvas e álcool gel, sofreram um aumento de preço considerável. Assim como cresceram os gastos com limpeza, uma vez que a higienização foi reforçada na instituição e nas peças de vestuário e itens pessoais.

“Outra grande preocupação é com o consumo de leite, feijão, óleo, açúcar e tantos outros alimentos, pois as doações despencaram para menos da metade e fizeram com que parte da renda fosse destinada para o que, até então, ajudava a economizar”, diz Margareth Pummer, presidente da Instituição.

 

Prejuízos

Visto todas as informações citadas anteriormente, muitas atividades precisaram ser interrompidas, tais como a retirada de doações nas residências e as vendas nos bazares Mercatudo. Os eventos dos próximos meses também foram adiados sem previsão de nova data ou até mesmo cancelados.

De acordo com Pummer, a situação financeira da Instituição diante da pandemia é alarmante: “Nós temos uma despesa mensal de 9 milhões e meio. Com o fechamento dos bazares e do telemarketing, vamos perder cerca de 6 milhões por mês”, afirmou a presidente das Casas André Luiz.

 

Notícia: Da Redação.  Foto: Divulgação – Casas André Luiz.

Para conferir outros conteúdos como este, acesse a home de nosso site.

Comentários
Carregando...