Festa das cerejeiras não acontece pela primeira vez na história

Tradicional festa no Parque do Carmo respeita as orientações da OMS

180

Pela primeira em vez em 41 anos, o Parque do Carmo, localizado na região leste, não receberá a tradicional Festa das Cerejeiras. O evento, organizado pela Federação Sakura e Ipê do Brasil, responsável pelo Bosque das Cerejeiras de São Paulo, que estava programado para ocorrer entre os dias 31 de julho a 2 de agosto, foi cancelado devido a pandemia do novo coronavírus.

Roberto Sekiya, presidente da Comissão de Organização do evento, além de publicar uma nota a respeito do cancelamento, conversou com a equipe da Redação em um entrevista via telefone. Confira abaixo:

 

SPJ: Quando vocês tomaram a decisão de cancelar o evento?

RS: Foi em maio que tomamos a decisão porque é muito compromisso. Não tínhamos previsão nenhuma de quando iriam voltar as coisas e não dá para se comprometer com tanta gente. Infelizmente, tivemos que cancelar pela primeira vez na história.

 

SPJ: Hoje nós vivemos a onda dos drive-in para cinema e shows. Não tinha como fazer o evento nesses moldes?

RS: Na verdade, a gente nem pensou nisso. Nós cancelamos o evento em maio, e nesse período ainda não estava na moda os drive-in. Mas não daria certo porque o Parque do Carmo está fechado nos fins de semana. E além de não ter como pagar os custos nesses moldes, o espaço dentro do parque não iria comportar os carros. Então é muita incerteza para arriscar, poderíamos prejudicar o parque. E a própria prefeitura de São Paulo não tinha um cronograma para a reabertura.

 

SPJ: Quem é responsável pelas despesas do evento?
RS: Nós da Ipê e Sakura arcamos com os custos. A Prefeitura nos dá uma pequena ajuda, mas uma grande parte da renda vem dos visitantes que consomem comidas típicas e que visitam a Festa. Com o investimento deles conseguimos manter o Bosque das Cerejeiras.
 

SPJ: A Festa das Cerejeiras está confirmada no ano que vem?

RS: Ela está planejada. Mas o principal problema é que nós não sabemos se haverá a possibilidade, pois nem sabemos se haverá uma vacina ou a cura para a Covid-19. A situação para eventos em geral, não só aqui no Brasil, mas no mundo, está bem crítica.

 

Vale lembrar que além da Festa das Cerejeiras, o Parque do Carmo também recebia apresentações de música e dança orientais, além de grupos de Taiko, tradicionais tambores japoneses. Na parte gastronômica do evento, eram servidos pratos típicos do oriente.

Assim sendo, forte símbolo da cultura japonesa, conhecidas também como sakuras, as cerejeiras viraram uma marca para os descendentes nipônicos da região de Itaquera. A comunidade tem como tradição realizar o hanami, costume japonês de sentar e admirar as cerejeiras ao longo do dia. É importante ressaltar que a florada das cerejeiras não duram mais que alguns dias e essa data é a única oportunidade de ver as flores no tom de rosa.

 

Por: Bruno Cenati.  Foto: Cassiane Gazzoni.

Para conferir outros conteúdos como este, acesse a home de nosso site.

Comentários
Carregando...