Moradores estão revoltados com descaso do Metrô na Vila Carrão e Formosa

Ação repentina tem impacto direto na fauna e flora local

208

A Zona Leste de São Paulo ganhará a expansão da linha 2 verde do Metrô como já anunciado, mas para isso os moradores terão que arcar com um ‘preço’.

Os munícipes do Jardim Têxtil foram surpreendidos na última segunda-feira (17), por um comunicado oficial do Consórcio responsável pela obra, anunciando que uma importante área verde da região será suprimida.

O início, segundo informe, era previsto para ontem (19), porém uma manifestação realizada no local, resultou na suspensão temporária da retirada de árvores. Caso siga, a ação que será realizada diariamente entre 7h e 17h, terá o impacto nas seguintes proporções:

  • 118 árvores de espécies nativas;
  • 232 exóticas;
  • 5 em estado fitossanitário mortos.

**Estas somam um total de 355 árvores que serão retiradas.

Manifestação 02       Manifestação 03       Manifestação 04

 

E os moradores, o que acham disso?

A decisão, comunicada às pressas, gerou revolta nos moradores, que se sentiram traídos e impactados. Isso acontece pois consideravam esta, além de uma zona de lazer, um dos espaços únicos de respiro para a população local. Sobre isso, estas lidam frequentemente com as expansões metropolitanas.

Sobre isso, a analista de atendimento, Adriana Gonçalves, 46, comenta que acredita haver uma alternativa à ser adotada pelo Metrô de São Paulo, para que os munícipes não sejam impactados. “Eu como moradora do Jardim Têxtil sinto total indignação contra esta derrubada na nossa praça, onde inclusive localiza-se o sítio arqueológico Complexo Rapadura (IIPHAN). Fomos informados apenas dois dias antes sem prévio questionamento da ação. Estou certa  que deve haver uma solução  mais inteligente que não interfira no meio ambiente e na comunidade. Nós da Zona leste quase não temos áreas verdes e estas devem ser prioritariamente preservadas”, conclui a analista e moradora da região.

Adriana reforça ainda que em conjunto com outros moradores está sendo organizada uma audiência pública para debater a questão.

É importante reforçar que embora possa parecer que o impacto desta ação tenha reflexo somente nas árvores, o que por si só já tem grande representatividade, está ação influenciará diretamente na vida de diversas famílias e espécies de pássaros que vivem na região, ou seja, prejudicando a fauna local.

 

O que diz o Metrô?

Após serem questionados via redes sociais por uma internauta sobre a ação repentina, o Metrô de São Paulo, através de sua conta oficial no Twitter  fez a seguinte manifestação: “Olá, todo o procedimento foi realizado e aprovado, seguindo rigorosamente as normas de manejo arbóreos exigidos pela CETESB, processo N° 034497/2020-34-ITAP. Esta é mais uma ação necessária para continuidade da expansão da Linha 2-Verde que vai beneficiar a população”.

Ao que se pode notar, a princípio a decisão parecia ser definitiva, mas com toda a manifestação dos moradores, o Metrô, ao que tudo indica, começa a repensar sua iniciativa.

Em linhas gerais, isso quer dizer que, por enquanto, a população não terá que lidar com o impacto direto em sua fauna e flora.

 

Por: Leandro Luz.  Foto: Divulgação.

Para conferir outros conteúdos como este, acesse a home de nosso site.

Comentários
Carregando...